2010/04/04

Il ritorno di Ringo (1965 / Realizador: Duccio Tessari)


A literatura da Antiguidade Clássica grega e latina marcou há muitos séculos atrás a nossa vida. Portugueses, espanhóis, italianos e gregos foram educados e regidos segundo uma matriz clássica que hoje temos bem presente nas obras literárias de Cícero, Tito Lívio ou Virgílio. No caso português, Luís Vaz de Camões, considerado o príncipe dos poetas renascentistas, é o caso mais marcante com “Os Lusíadas”. Contudo, acima de todos estes nomes está Homero. Este brilhante poeta grego é o expoente máximo da literatura greco-latina clássica porque as epopeias “A Ilíada” e “A Odisseia” ainda hoje são objecto de estudo, são ricas em simbologia e são fundamentalmente um tributo aos povos do mediterrâneo. Como se sabe, antes da exploração até à exaustão do western houve a exploração até à exaustão do “peplum” na Itália dos anos 50. Temas como a guerra de Tróia, o império romano, os gladiadores, os temas religiosos e os feitos dos heróis (Hércules, Sansão, Ulisses, Aquiles, Eneias, Ursus, Maciste) viram a luz do dia pelos mesmos cineastas que mais tarde se dedicariam ao western. Sergio Leone considerava Homero como o primeiro criador de westerns mas ironicamente foi o seu amigo Duccio Tessari quem transformou a parte final de “A Odisseia” num western. O resultado foi O regresso de Ringo.


Este filme tem todos os elementos chave da epopeia homérica que tem como protagonista Ulisses, o mais astuto dos heróis gregos. O herói volta da guerra após anos de ausência. Ao chegar vê-se confrontado com uma dura realidade: a cidade onde vivia foi tomada de assalto e ocupada por forasteiros. Como se não bastasse a sua esposa é forçada a viver com o líder invasor, sempre na esperança de ver o marido regressar são e salvo, tal qual Penélope espera por Ulisses sem nunca casar com os pretendentes (símbolo da fidelidade feminina). A única forma do herói obter sucesso é infiltrar-se na cidade disfarçado e aguardar pela hora certa para ajustar contas! Este é o final de “A Odisseia” e é o enredo de “O regresso de Ringo”. Ulisses passa a ser Giuliano Gemma, Penélope é Hally Hammond e os vilões estão a cargo de George Martin e Fernando Sancho. A Guerra de Tróia é substituída pela Guerra Civil Americana e a justiça vai prevalecer ao fim de 90 minutos de acção, drama, traição, violência e amor.


Na minha opinião, este filme é em tudo superior ao seu antecessor Uma pistola para Ringo. Pessoalmente nem sequer considero que ambos os filmes estejam ligados porque são muito distintos. Por acaso, “O regresso de Ringo” até está editado em DVD em Portugal juntamente com “Uma pistola para Ringo” numa caixa de dois discos intitulada “Caixa Giuliano Gemma”. Conheço o conteúdo mas preferi a versão francesa no formato original 2.35:1 sem legendas e áudio em francês. Esta edição tem extras bem interessantes mas breves. O documentário “De Ringo a Ulisses” tem cerca de 10 minutos mas é esclarecedor. Há também uma entrevista de 7 minutos com Vera Gemma, a filha de Giuliano Gemma, que nos ilumina sobre o sucesso que o seu pai teve na Itália e além fronteiras. Fala do privilégio que foi passar a sua infância nos bastidores dos westerns protagonizados pelo seu progenitor e afirma que, após muitas viagens ao Japão, só dois actores europeus provocavam tantas paixões loucas e tanta histeria naquele país: Um deles é o francês Alain Delon, o outro é o italiano Giuliano Gemma! Eis a prova que os westerns-spaghetti são admirados e respeitados pelo mundo inteiro! Quem defende o contrário pode fazê-lo mas está enganado!


Trailer

8 comentários:

  1. Bella película, muy superio a su primera parte, aunque como bien dices, yo tambien creo que tiene poco que ver con el primer Ringo, salvo aprovechar el tirón comercial de aquél.

    Lindo filme, muito superiores em sua primeira parte, mas como você disse, eu também acho que tem pouco a ver com o Ringo primeiro, exceto para usar a força comercial do dito tribunal.

    ResponderEliminar
  2. Olá amigo Julio Alberto! Da mesma forma que houve um exagerado uso do nome "Django" também o nome "Ringo" foi alvo de inúmeras cópias apenas para tentar obter melhores resultados nas bilheteiras!

    ResponderEliminar
  3. Viva!

    É verdade, há por aí muita coisa feita sobre o nome Ringo. Eis alguns títulos:

    * 3 Bullets for Ringo
    * Secret of Captain O'Hara (aka Il segreto di Ringo)
    * Two Sons of Ringo
    * Ringo's Big Night
    * Ringo, Face Of Revenge
    * Woman for Ringo
    * (...)

    Pessoalmente não me revejo muito nestes filmes do Ringo, mas esta sequela livre é a "melhorzita". Acho que o Duccio Tessari ainda estava um pouco verde nesta fase. Nota-se uma certa dificuldade na execução das cenas de acção, aqui e ali demasiado teatrais e lentas. Mas por esses anos não se poderia esperar muito melhor!

    ResponderEliminar
  4. Para mim, este filme é um dos melhores westerns de Duccio Tessari. Acho que o ritmo lento que o filme tem, exceptuando a parte final, dá mais qualidade e mais sentimento. Os westerns não têm sempre de ser rápidos e alucinantes, acho que impor ritmos mais contemplativos também traz coisas boas!

    ResponderEliminar
  5. Sim, claro. Aí estamos de acordo sócio. Mas se reparares aquela rapaziada depois de alvejada parece que não sabe como cair mortos. Não morrem de uma maneira espontânea e natural. Isso nota-se muito nos filmes dessa época, não é só com o Tessari que acontece!

    Do que lhe conheço, o meu filme favorito também é o "Il ritorno di Ringo", mas acho que o "Viva la muerte... tua!" está mais bem filmado/montado - ainda que o filme em si seja fraco.

    Mas não sou fã do homem, confesso. Quero ainda assim ver o "Zorro" (acho que vi há anos, preciso mais memória RAM para o cérebro) e o "Vivi o, preferibilmente, morti" - que consegui encontrar em Badajoz por uma ninharia!

    ResponderEliminar
  6. Hola, amigos, qué sorpresa ver aquí "Il ritorno di Ringo". Me parece muy curioso que mucha gente prefiera esta "segunda" parte a "Una pistola para Ringo", cuando esta primera es la más famosa. Supongo que será porque es seria. A Julio Alberto veo que le gustan los westerns "serios". A mí me gusta más el Giuliano Gemma sonriente.
    Un saludo y gracias por la entrada de la película!!

    ResponderEliminar
  7. Gracias por pasarte Belane!
    En "Por um punhado de euros" compartimos tu admiración por Giuliano Gemma. Uno de estos días tendré que escribir algo sobre mi afecto sobre la gran peli "Un dolar agujerado"!
    Saludos!

    ResponderEliminar
  8. Uy!! Yo también quiero escribir sobre Un dólar agujereado... En realidad quiero hablar de todas las películas de Giuliano. ¡Qué bien escribes castellano!
    Saludos desde España!

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails