2011/08/22

Killer Calibro 32 (1967 / Realizador: Alfonso Brescia)

O alemão Peter Lee Lawrence (Karl Hirenbach de baptismo) estreou-se cedo no cinema, e logo pela mão do colosso Sergio Leone. Em “Por Mais Alguns Dólares” representaria o cunhado do Coronel Mortimer, uma participação limitada a alguns flashbacks que nem lhe valeu o nome nos créditos do filme. Mas pouco faltaria para que Lawrence tivesse o seu nome escarrapachado nos posters de mais do que uma dezena de westerns-spaghetti. Só em 1967 protagonizaria três destes filmes, desses destacamos agora “Killer calibro 32”. Filme que terá chegado a ser lançado em Portugal com o título “Cada bala tem um nome”, mas pessoalmente considero mais acertada a escolha dos nossos patrícios brasileiros: “O Matador de aluguel”!

Peter Lee Lawrence é Silver, um pistoleiro a soldo, 1000 dólares é o valor que aceita para matar. Um dos «serviços» leva-o Carson City onde acaba por ser contratado para encontrar e eliminar os meliantes responsáveis pelo assalto de uma diligência carregada com o ouro do banco local. Silver não tem muitas pistas que o possam colocar na senda dos patifes responsáveis pelo massacre de todos os passageiros da diligência, mas o banho de sangue deixado para trás parece incriminar alguém das redondezas, alguém que não arriscou ser reconhecido.


O clima misterioso criado por Alfonso Brescia (realizador) e Enzo Gicca Palli (argumentista) atira-nos para o universo da saga Sartana, mas aqui numa versão livre de todas aquelas camadas lipídicas. Muito fácil de seguir mas sem ser por isso demasiado previsível, evitando portanto as tramas ultra-complexas que Giuliano Carnimeo nos habituou. Curiosamente, em 1971 Enzo Gicca Palli assumiria a cadeira da realização numa sequela dada à personagem Silver: "Il venditore di morte". Sequela essa, em que o genuíno Sartana - Gianni Garko - encarnaria a figura do infalível pistoleiro detective.

O filme esteve durante anos na lista de lançamentos da Wild East, mas a coisa só viu a luz do dia em finais de Julho deste ano. Uma espera longa mas que me parece ter valido a pena. O filme é apresentado em formato widescreen quase isento de danificações de fita. E pelo que os amigos da Wild East garantem, esta será também a versão completa, o que aparentemente não se verifica nas edições disponíveis no mercado alemão e brasileiro.


Mais alguns lobbys germânicos:


6 comentários:

  1. Há poucos dias revi o filme IL VENDITORE DI MORTE, que aborda também o tema da investigação de um crime pelo pistoleiro / advogado Silver. Não sei qual dos dois é melhor mas gostei do filme de Enzo Gicca Palli, que em certos momentos é muito parecido a um "giallo".

    ResponderEliminar
  2. Este também tem uns resquícios de giallo, mas nada de demasiado evidente.

    --
    Pedro Pereira

    http://por-um-punhado-de-euros.blogspot.com
    http://auto-cadaver.posterous.com
    http://filmesdemerda.tumblr.com

    ResponderEliminar
  3. Rapazes, é apenas para parabenizá-los pelo excelente trabalho. Para nós, amantes do eurowestern, é muito bom ver o trabalho do Por um punhado de euros. Continuem montando nossa enciclopédia da web. Está cada dia melhor. Abraço! LeMarc

    ResponderEliminar
  4. Obrigado pelas palavras elogiosas amigo LeMarc.

    --
    Pedro Pereira

    http://por-um-punhado-de-euros.blogspot.com
    http://auto-cadaver.posterous.com
    http://filmesdemerda.tumblr.com

    ResponderEliminar
  5. É um belo filme,, vê-se bem e tem um toque de suspense, leve mas presente!Gostava de dizer que para mim, o personagem principal tem um "não sei o quê" de James Bond, talvez seja a caracterização do personagem (figurinos e maquilhagem) ou então seja o próprio actor que carrega essa aura com ele...

    ResponderEliminar
  6. Já vi este filme e não há dúvida que existem algumas semelhanças com IL VENDITORE DI MORTE, embora KILLER CALIBRO 32 não seja tão interessante, na minha opinião.

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails