2010/07/04

Zorro (1975 / Realizador: Duccio Tessari)


Este filme não é um western-spaghetti “per se” mas todo o ambiente envolvente é praticamente igual e o realizador Duccio Tessari, que deu um óptimo contributo ao subgénero (Il ritorno di Ringo, ¡Viva la muerte... tua!), surge como líder deste projecto. Eu considero-o um western, ou melhor, é um cruzamento entre as aventuras de Zorro e os westerns-spaghetti, mas cada um é livre de interpretar como quiser! No início do século XIX, no continente americano, Diego de la Vega encontra casualmente Miguel Vega de la Serna, amigo de longa data e futuro governador de Nuevo Aragon, uma colónia espanhola na América Central. Nuevo Aragon é um local extremamente turbulento e com a polémica morte do governador, tudo se complicou. Miguel, que fez uma longa viagem de Espanha para o Novo Mundo, tem agora a responsabilidade de ocupar o lugar do seu defunto tio e sonha, através de um governo por si liderado, aplicar novas medidas pacifistas que sejam o exemplo de ordem e justiça para todos.

Para impedir isso, o maquiavélico coronel Huerta envia um grupo de assassinos para matar o governador e, deste modo, usurpar para si mesmo todos os poderes de Nuevo Aragon. No calor da luta, Diego consegue eliminar todos os agressores mas não evita a morte do seu amigo. Para impedir Huerta de alcançar os seus propósitos, Diego decide tomar o lugar de Miguel e apresentar-se em Nuevo Aragon como o tão esperado governador. Segue-se um brilhante jogo do gato e do rato entre Diego e o coronel Huerta, com destaque para a dupla personalidade do protagonista (intrépido herói mascarado e exímio espadachim em contraste com o patético e efeminado governador).


O filme tem alguns momentos hilariantes, tais como as aparições do obeso sargento Garcia, a fuga de Zorro e Hortênsia das masmorras de um forte militar, com muitos trambolhões, acrobacias e um corneteiro desesperado a tentar dar o alarme! Há contudo momentos mais dramáticos, como a morte de Miguel ou a execução fria e cruel do padre Francisco às mãos de Huerta. Os últimos 15 minutos são o auge do filme, que resulta no melhor e mais longo duelo de espadachins da História do cinema. Uma nota de destaque para os irmãos Guido e Maurizio de Angelis na música, recorrendo às sempre inimitáveis guitarras espanholas!

Zorro, personagem criada pela mente de Johnston McCulley, foi ao longo da História uma mina riquíssima de adaptações que marcaram para sempre a literatura, o cinema e a televisão. Toda a gente conhece este singular herói mascarado e consequentemente Duccio Tessari tinha de ter um actor digno dessa grande responsabilidade. Quem melhor para essa função do que nada mais nada menos que Alain Delon (Soleil rouge), o carismático actor francês que estava no auge da sua popularidade. A aposta foi claramente ganha porque Alain Delon é o grande centro das atenções, o seu desempenho é genial e é bem apoiado por Stanley Baker, Ottavia Piccolo, Adriana Asti, Enzo Ceruzico e Moustache.


Este filme marcou a minha infância e a minha adolescência no formato VHS. Agora que temos o DVD nunca poderia deixar de comprar um exemplar. A edição francesa da MGM foi a escolhida com imagem em 4:3 e áudio em inglês e francês. Esta é a versão original integral de 120 minutos. Existem outros exemplares à venda mas praticamente todos eles estão incompletos e com muitas cenas cortadas (alguns até com menos de 90 minutos, imagine-se!)! Enfim, é mais um exemplo de como certas companhias do mercado DVD têm tendência para esquartejar e assassinar um bom filme! Espanha, Itália e França foram os países responsáveis por este projecto e essa colaboração deu os seus frutos: Permitiu filmar nas belas paisagens espanholas, permitiu ter um realizador muito competente como Duccio Tessari e permitiu ter um Alain Delon em grande forma, com a sua legião de fãs a delirar e a resumir-se ao óbvio: As mulheres amavam-no, os homens invejavam-no!


Amostra:

13 comentários:

  1. para inicio de conversa, quero parabeniza-los por um ano de POR UM PUNHADO DE EUROS, essa mistura de Zorro com Western foi devido ao fato da confusão entre este e o cauboi americano Lone Ranger por causa da mascara, infelizmente nenhum exemplar destas msisturas chegou aqui no Brasil.

    ResponderEliminar
  2. Tengo el lejano recuerdo de haberla visto...
    Por cierto, cabe aquí reivindicar al gran director español Joaquín Romero Marchent, que con sus aproximaciones al Coyote ya también al Zorro en los 50 prefiguró esta mixtura.

    ResponderEliminar
  3. Também tinha a ideia de já ter visto em tempos este Zorro, mas no meio de tantos filmes com o personagem já nem sei dizer. Coloquei-o por isso na lista a ver e gostei. Apesar de achar que acima de tudo é um filme de aventuras e dificilmente um western-spaghetti. Claramente spaghetti são as paisagens utilizadas para a rodagem do filme, semelhantes a tantos outros filmes desse género.

    ResponderEliminar
  4. Quero agradecer as simpáticas palavras do amigo Artur! O Adrian tem razão porque Romero Marchent fez diversos filmes sobre o Zorro. Sei que o cenário do filme "Por um punhado de dólares" foi aproveitado por Leone após Marchent ter filmado um filme do Zorro.

    ResponderEliminar
  5. Um blog sobre Western Spaghetti. ah ah
    Grande ideia, Parabéns!

    ResponderEliminar
  6. Viva Carlos!
    Gostamos de pensar que sim. Obrigado!
    Um abraço da equipa.

    ResponderEliminar
  7. Não fazia a menor ideia que o Alain Delon já tinha feito Zorro. É um personagem eterno!

    Cultura? O lugar é aqui:
    http://culturaexmachina.blogspot.com

    ResponderEliminar
  8. Tantas foram as adaptações do personagem "Zorro" que é quase impossível conhecer tudo! Mas este filme com Alain Delon é uma das melhores adaptações do cinema! Para mim, é a melhor de todas! Existem outras protagonizadas por Tyrone Power e Douglas Fairbanks que tiveram muito sucesso principalmente nos EUA.

    ResponderEliminar
  9. Sem dúvida, um dos meus "Zorros" preferidos, talvez a seguir ao SINAL DO ZORRO com Tyrone Power.
    Felizmente há uma versão integral do filme, em alemão, mas vi-o com umas legendas em inglês, torna o visionamento deste filme muito mais agradável. Vi-o no cinema e foi editado em vídeo nos 80 em Portugal. Alain Delon está óptimo neste filme, um pouco à semelhança como em A TULIPA NEGRA, um excelente filme de aventuras passado nas vésperas da Revolução francesa e neste filme, Delon, interpreta um personagem muito idêntico a Zorro, o citado TULIPA NEGRA do título. Zorro é um excelente filme de acção e aventura, com laivos de western spaghetti, cujo vilão de serviço é o sempre excelente Stanley Baker, actor britânico muito conhecido principalmente nos anos 60.
    Filme a não perder para quem gosta de um bom filme de aventuras.

    ResponderEliminar
  10. É com prazer que noto o regresso do amigo António Rosa aos comentários no blog! Ainda nunca vi o filme TULIPA NEGRA mas é capaz de ser um bom filme de espadachins! Quanto a Stanley Baker acho que este ZORRO foi o seu último filme porque faleceu pouco depois.

    ResponderEliminar
  11. Não conhecia a trilha sonora completa e realmente
    Guido e Maurizio de Angelis foram fenônemos musicais em filmes de ação. Neste de Capa e Espada a sonorização ficou muito boa tanto quanto nos westerns Clássidos desta dupla.
    A performance de Alain Delon tambem é marcante.
    bangbangitaliana.blogspot.com

    ResponderEliminar
  12. Olá companheiro!
    Outra trilha destes Guido & Maurizio De Angelis que muito aprecio é a que fizeram para o filme "Keoma". E o engraçado é que em tempo até achei uma porcaria, mas as pessoas mudam e com elas os gostos!

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails