2010/02/16

Le pistole non discutono (1964 / Realizador: Mario Caiano)


Ao mesmo tempo que Sergio Leone filmava o seminal Per un pugno di dollari em Los Albaricones (Almeria, Espanha), uma outra equipa trabalhava também no local. Mario Caiano e seus comparsas rodavam por ali Le pistole non discutono, um western europeu feito à imagem dos grandes clássicos americanos, com direito à famosa carga da cavalaria e até mesmo a tema cantado à lareira! Como protagonista deste intento Caiano contou com o canadense Rod Cameron - estrela cadente do cinema americano série-B - que mais tarde voltaria a aceitar papeis em outras produções europeias tais como Il piombo e la carne.


Bill (Horst Frank) convencido pelo seu irmão George (Angel Aranda) decide assaltar o banco de River Town, cidade natal de ambos, aproveitando o facto do xerife (Pat Garrett) estar afastado do local por se casar nesse mesmo dia. Com a quase totalidade da população dentro da igreja local e consequentemente com as ruas desertas, prevê-se um golpe fácil. Mas nem tudo corre como planeado e os dois pistoleiros são reconhecidos pelos homens do banco, conseguindo ainda assim fugir com o saque e procurar refúgio numa povoação do outro lado da fronteira. Ainda que sem jurisdição em território mexicano, o xerife Pat Garrett persegue e captura os bandidos. Os seus problemas estão ainda longe de ficar resolvidos uma vez que a vilanagem local liderada por Santero (Mimmo Palmara) toma conhecimento da existência dos 30.000 dólares, tudo fazendo para lhe deitar a mão. Apesar da avançada idade, o “avozinho” Rod Cameron safa-se bastante bem nas cenas de pancadaria, nalgumas delas segundo reza a história prescindindo mesmo da utilização de duplos, mas é o então jovem Horst Frank que preenche o ecrã com uma interpretação de grande nível, coisa que nos habituaria nos filmes que protagonizaria mais tarde: Preparati la bara!, Quella sporca storia nel west, etc.


Ao contrário de “Per un pugno di dollari” - que marcou o inicio de uma época no cinema de acção de selo europeu - “Le pistole non discutono” apenas demonstrou que é possível reproduzir de um modo quase perfeito o western clássico americano sem ter de atravessar o Atlântico. Mario Caiano realizaria nos anos seguintes um punhado de westerns-spaghetti - muitos dos quais protagonizados pelo saudoso brasileiro Anthony Steffen - nos quais se denota uma clara aproximação às características vulgarmente consideradas como chavões neste tipo de cinema. Filmes imperdíveis como é o caso do excelente zapata-western Un treno per Durango ou Una Bara per lo sceriffo. Merece por isso ser relembrado!


Trailer


5 comentários:

  1. Ontem tive a oportunidade de ver este filme e de facto é mesmo uma cópia de um western tipicamente americano. Não acrescenta nada de novo... se não soubesse que foi produzido na Europa diria que é um produto da vasta escola americana! Está muito longe do meu ideal de western.

    ResponderEliminar
  2. Mas lá que o trailer é engraçado é!....Torna-se fácil fixar o nome do filme já que é repetido tantas vezes...lol

    ResponderEliminar
  3. Entretenido western más cercano a los modelos estadounidenses de serie b. Si no se es muy exigente se puede pasar un rato agradable.

    ResponderEliminar
  4. Sin duda! Tendré que comprar el DVD alemán de Koch Media.

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails