2015/02/10

Giù le mani... Carogna! (Django Story) (1971 / Realizador: Demofilo Fidani)

Certa noite, num saloon do Velho Oeste, está o jovem Wild Bill Hickok a beber uma fresquinha. Tudo está calmo e tranquilo. Um homem misterioso entra no saloon, senta-se e também bebe uma caneca para matar a secura. O homem está todo vestido de negro, o seu bigode e os seus cabelos grisalhos indiciam que se trata de um indivíduo idoso, fisicamente debilitado (traz uma bengala) mas o seu olhar é sinistramente lúcido e perspicaz. Num ápice rebenta uma violenta discussão entre alguns clientes do saloon e começam a zunir murros, pontapés, cabeçadas, garrafas partidas e mesas desfeitas! A discussão alarga-se ao jovem Hickok e ao velho coxo, que prega umas bengaladas em alguns mariolas. Subitamente, o xerife aparece e põe ordem na confusão. Leva para o xadrez todos os palhaços que começaram a briga deixando Hickok e o velho a sós no saloon.


Feitas as apresentações, Wild Bill percebe que tem perante si Django, o célebre pistoleiro e caçador de recompensas mais famoso do Oeste. Ambos vão passar todo o serão à mesa a comer, a beber e a conversar porque Hickok quer ouvir de Django todas as aventuras que viveu quando este era mais novo e como eliminou todos os seus temíveis inimigos ao longo da sua carreira de pistoleiro. Este foi o último western de Demofilo Fidani, um cineasta que fazia filmes à velocidade da luz.

Rezam as crónicas que alguns westerns que realizou foram rodados em poucos dias! Os cenários e os locais não variavam muito e os atores e técnicos não variavam nada porque era gente de confiança (praticamente como uma família). Fidani era um tipo engenhoso porque fazia muitos westerns quase sem dinheiro. Para este filme o que é que o homem fez? Pegou em cenas dos seus westerns anteriores, editou-as como quis e colou-as às novas cenas filmadas de propósito para este filme (nomeadamente todas as cenas que incluem Wild Bill Hickok e o grisalho Django).


Para quem não é muito exigente a montagem final escapa mas há, de facto, várias falhas como é apanágio das produções da Tarquinia Films. O elenco é mais do mesmo: Jerry Ross como Wild Bill Hickok, Gordon Mitchell como Buck Bradley, Dennis Colt num duplo papel dos irmãos Manuel e Paco Sanchez, Dean Stratford como Dean O’Neil e à cabeça temos Hunt Powers a interpretar um Django velho, coxo, quase reformado mas ainda com genica para disparar uma arma ou partir o focinho a uma súcia de malandros com a sua terrível bengala! Aconselhável única e exclusivamente para malucos como eu (“mea culpa, mea culpa”) que gostam de Demofilo Fidani e das suas produções rascas.

Mais algum material promocional:


Trailer:

6 comentários:

  1. Este é um filme que quero ter em DVD. Infelizmente, até à data, não existem edições DVD em lado nenhum. Normalmente são os alemães ou os italianos os primeiros a atreverem-se a colocar no mercado os westerns de Fidani. Espero que aconteça brevemente...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda não arrisquei ver este. Pelo que vejo do teu texto... parece-me perigoso!

      Eliminar
  2. Sim, é verdade! O pessoal que só gosta de westerns muito bem feitos e planeados ao mínimo pormenor é melhor que não vejam nem este nem os outros westerns de Demofilo Fidani.
    Além deste filme também os dois "Sartanas" com Jeff Cameron seriam bem vindos no mercado DVD. Não acho que seja impossível porque depois dos alemães terem editado em DVD westerns realizados por Luigi Batzella (que na minha opinião é pior que Fidani) eu já acredito em tudo...

    ResponderEliminar
  3. Segundo as minhas pesquisas, em Portugal este filme ficou com o título de A BALADA DE DJANGO e estreou no nosso país em julho de 1981. Ou seja, só cá chegou 10 anos após a sua estreia em Itália!
    Se esta informação tiver algum erro o nosso amigo António Rosa pode e deve corrigir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, quase de certeza! Mesmo nos anos 80 não estou a ver este filme a ser exibido nas salas de cinema do nosso país.

      Eliminar

Related Posts with Thumbnails