2013/03/12

Quel caldo maledetto giorno di fuoco (1968 / Realizador: Paolo Bianchini)

A sangrenta Guerra Civil Americana entre os estados do Norte e os estados do Sul continua. O conflito está equilibrado mas aos poucos o Norte começa a ganhar cada vez mais terreno. As altas patentes militares e a administração do presidente Lincoln estudam estratégias que permitam decidir a guerra a seu favor. Os serviços secretos convenceram Gatling a apoiar a sua causa. Este contribui com uma invenção da sua autoria que irá revolucionar o poderio militar do exército: uma metralhadora!

Do outro lado da barricada, os espiões sulistas apercebem-se da jogada e preparam-se para agir. Numa operação de espionagem perfeita, os poucos indivíduos que estão a par do assunto são assassinados e Gatling é raptado. Esta jogada poderá representar uma inversão nos destinos do conflito e toda a máquina de guerra ianque entra em pânico! Numa situação extrema opta-se por medidas extremas.


Numa prisão militar está Chris Tanner (Robert Woods), ex-militar e agente da Pinkerton acusado e julgado por alta traição. Ele é o único suficientemente competente para resolver este caso. Tanner aceita a missão em troca de um perdão presidencial e dispõe apenas de 30 dias para investigar. A partir de agora, o futuro do país está nas mãos deste homem.


Este foi um dos muitos filmes protagonizados por Robert Woods (Black Jack, La Taglia è tua... l'uomo l'ammazzo io), ator americano que trabalhou intensamente nos anos áureos (e crepusculares) dos westerns italianos. Com ele estão também John Ireland, Evelyn Stewart, Rada Rassimov, Furio Meniconi e Roberto Camardiel. Ao vermos este filme percebemos logo que se trata de uma produção de segunda linha que não causa grande impacto. O tiroteio noturno no cemitério é o momento mais interessante de todo o filme. Tudo o resto é, a meu ver, perfeitamente banal…


Trailer:

8 comentários:

  1. Achei o filme divertido e com um enredo interessante mas não chega as calcanhares de "Lo voglio morto", também deste realizador. Acho que este ficou a meio caminho de algo maior. Ainda assim recomendaria-o a quem se quer embrenhar no género.

    Tenho DVD da Dorado Films que é bastante bom mas com as limitações regionais. Mas recentemente passou a estar disponível na Europa.

    http://por-um-punhado-de-euros.blogspot.pt/2013/01/fora-de-topico-lancamento-django_24.html


    --
    Pedro Pereira

    http://por-um-punhado-de-euros.blogspot.com
    http://destilo-odio.tumblr.com/

    ResponderEliminar
  2. O tema da investigação e da espionagem são interessantes mas parece-me que falta algo a este filme para ser realmente emocionante.
    Quanto ao DVD europeu, talvez a febre em torno de Quentin Tarantino tenha contribuído para isso, uma vez que o cineasta americano gosta bastante deste western.

    ResponderEliminar
  3. Entretenido y original spaghetti que nos propone una trama a caballo entre el western y el eurospy tan en boga en ese momento, con un Robert Woods en el papel de un James Bond del siglo XIX. Como curiosidad el trío masculino protagonista repetiría en papeles diferentes en la para mí superior "Un dólar y una tumba".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hola Jesus.
      "Un dólar y una tumba" (La Sfida dei MacKenna) me pareció algo lento, pero creo que sea la mejor peli de Klimovsky, al menos de las que me acuerdo. Tendré que hacer una reseña en este ciclo Robert Woods.

      --
      Pedro Pereira

      http://por-um-punhado-de-euros.blogspot.com
      http://destilo-odio.tumblr.com/

      Eliminar
    2. Hola Pedro, a mí también me parece "Un dólar y una tumba" el mejor y más complejo western de Klimovsky, aunque, claro, el nivel medio de sus spaghettis era bastante bajo.

      Eliminar
    3. Si es verdad. Muy lejos del nivel de los maestros del western-spaghetti.

      --
      Pedro Pereira

      http://por-um-punhado-de-euros.blogspot.com
      http://destilo-odio.tumblr.com/

      Eliminar
  4. Leon Klimovsky sempre teve o rótulo de realizador de segunda linha que não primava pela competência. O retrato disso são vários westerns de fraca qualidade. Em um deles, POCCHI DOLLARI PER DJANGO,teve de ser substituído por Enzo G. Castellari, que era na altura o seu assistente de realização.

    ResponderEliminar
  5. ... que salvou a coisa.

    --
    Pedro Pereira

    http://por-um-punhado-de-euros.blogspot.com
    http://destilo-odio.tumblr.com/

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails