2017/11/14

Hai sbagliato... dovevi uccidermi subito! (1972 / Realizador: Mario Bianchi)

O banco foi assaltado. Várias pessoas foram assassinadas. O trio responsável por tudo isto foge incólume. Pouco tempo depois, as autoridades encontram os cadáveres de dois dos três assaltantes (mortos pela mordedura de cobra venenosa). O dinheiro do banco continua desaparecido. O terceiro fora-da-lei anda a monte. Na cidade, num ambiente discreto (ou quiçá clandestino), sentam-se à mesa de jogo o xerife Lewis Burton, o homem de negócios / dono do saloon Karl, o alucinado doutor Torres e o poderoso rei do gado Clinton. Muito dinheiro circula nessas noitadas de jogos de cartas. A bela Kate, a “femme fatale” que trabalha no saloon, é de uma fidelidade canina para quem lhe paga os honorários e as suas qualidades de espia são extremamente úteis. O duro golpe na banca da cidade fez acionar o alarme na companhia de seguros Lloyds Of London, que rapidamente envia alguém para apurar o sucedido.
Mãos ao ar seus cabrões!

Esse alguém chama-se Jonathan Pinkerton, um homem alto, elegante, intrépido e malditamente perspicaz. Pinkerton recolhe diversos testemunhos dos cidadãos para chegar à verdade. O doutor Torres, um médico / cientista que faz experiências no seu laboratório com serpentes venenosas, dá algumas dicas ao agente de seguros. Torres, apesar de ter cara de maluco, rejeita que lhe ponham o rótulo de charlatão e insiste que o seu trabalho é para ser levado a sério. Pinkerton não duvida. Pinkerton sofre vários atentados, resiste a provocações, às quais responde ao murro e ao pontapé (e de vez em quando também usa o revólver) e constata que nem na cadeira do barbeiro se pode estar descansado!

Frank Braña: Um gajo rijo como o aço.

O xerife Burton, o ricaço Karl, o ganadeiro Clinton, o doutor Torres e a atraente Kate estão no topo da lista de suspeitos de Pinkerton mas, inexplicavelmente, os principais suspeitos também são assassinados! Por quem?! Mas afinal o que é que se está a passar?! É fundamental que Pinkerton tenha muito cuidado porque a cidade está apinhada de serpentes venenosas (das que rastejam e das que têm duas pernas) e a qualquer momento uma picada poderá ser fatal! No mercado ibérico (Portugal e Espanha) este filme ficou sob o título de “A Morte Chega a Assobiar” e “La Muerte Llega Arrastrándose”, respetivamente.

Ofereceram-lhe uma gravata de corda.

É um western de baixíssimo orçamento cheio de intrigas, conspirações, voltas, reviravoltas e muito veneno através de um complô bem urdido. O conceito “fazer muito com pouco” assenta-lhe como uma luva.

6 comentários:

  1. Durante as filmagens, o título inicial deste filme era "Quando la Morte Arriva Strisciando", ou seja, "Quando a morte chega a rastejar". Não se sabe porque decidiram mudar mas esse título era bem mais adequado.
    As versões que vi são em inglês e espanhol. Nunca vi o filme na versão original italiana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em Espanha mantiveram esse titulo: "La muerte llega arrastrandose".

      Eliminar
  2. Mario Bianchi apenas realizou 3 westerns (todos eles sob o pseudónimo de Frank Bronston). Pessoalmente acho que são 3 westerns bem interessantes, apesar dos muito baixos orçamentos que teve à disposição.
    Depois passou para o cinema erótico e pornográfico.

    ResponderEliminar
  3. Um bom Spaghetti, competente apesar dos pesares. Gosto porque a história foge do habitual tema vingança. O filme vai por um caminho meio investigativo, misterioso, com aquela dinâmica do giallo. Lembra o ótimo "Il venditore di morte" com Klaus Kinki e Giani Garko.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, é verdade! Ambos os filmes têm muitos momentos noturnos extremamente misteriosos.
      Há diversos westerns com Robert Woods já editados em DVD mas este ainda não, infelizmente.

      Eliminar
  4. Bom filme. Nesta facção de westerns giallo, é talvez o melhor.

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails