2014/06/03

Inginocchiati straniero... I cadaveri non fanno ombra! (1970 / Realizador: Demofilo Fidani)

Não há tempo a perder! Vamos direto ao assunto: Lazar é um caçador de recompensas que nunca larga a sua presa. Quando está no encalço de um fora-da-lei não descansa enquanto não termina o seu trabalho. Todos os bandidos que caem nas suas mãos têm o destino traçado: são entregues às autoridades mas sem a mínima hipótese de se defender porque antes disso Lazar serve-lhes uma bela dieta à base de balázios. Embora seja um profissional de primeira linha, Lazar guarda para si num esconderijo todo o dinheiro roubado que as suas vítimas tinham. Este negócio sangrento coloca-o no caminho de Barrett, o dono das minas de ouro daquela região. Por perto estão o capataz Medina e a bela cigana Maya. 


Para complicar a situação um forasteiro também se mete ao barulho porque, aparentemente, tem umas contas a ajustar com Lazar. O resultado final é… um dos melhores westerns de Demofilo Fidani! É verdade, este filme é uma das melhores obras deste carismático realizador mas temos de ser justos: no meio de tanto disparate e tanta falta de qualidade nos seus filmes (até chegava ao ponto de usar as mesmas cenas e a mesma música em vários filmes!) Fidani tinha por vezes um raio de luz que o iluminava e lá vinha um western minimamente bem estruturado e que até fazia sentido!


É perfeitamente claro para todos que quando mencionamos o nome “Demofilo Fidani” estamos a falar de material de série B, da mesma maneira que todos os seus súbditos são nomes “underground”. A saber: Hunt Powers, Chet Davis, Gordon Mitchell, Simone Blondell, Dennis Colt e Ettore Manni. Resumindo e concluindo: os fanáticos de westerns-spaghetti de série B podem e devem ver este filme, onde estão incluídos homens de barba rija e mulheres de nervos de aço.


Os curiosos que não têm medo de arriscar também devem fazê-lo. Os intelectuais de meia-tigela que se auto-intitulam génios da crítica cinematográfica (sim, falo daqueles que assinam sempre com três nomes, para dar mais estilo) é melhor que se afastem ou o espírito de Demofilo Fidani volta à Terra para vos cravar um par de chapadas na cara!



Trailer:




8 comentários:

  1. Uma curiosidade: Demofilo Fidani é um dos realizadores mais abordados neste blogue. Esta é a 4ª resenha de um dos seus westerns. Até ao momento nem mesmo Sergio Leone tem essa honra. Sergio Corbucci é quem lidera com 8 resenhas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece-me que em breve aparecerá uma quinta... desisti da ideia de resenhar o segundo "Cjamango" depois de ter assistido a "Straniero... fatti il segno della croce!", que admito ter gostado bastante. Tentei procurar aquelas falhas tipicas à Fidani mas não as encontrei. História recontada mas ainda assim um momento bem passado.

      Eliminar
    2. Sim, esse também é um western decente. Já há bastante tempo que não vejo esse filme mas lembro-me que há uma cena em que Charles Southwood dispara contra ovos e as balas ao atingirem o alvo os ovos até deitam pó!

      Eliminar
    3. Um dos momentos do filme, sem dúvida. Já ali a roçar nas veias cómicas que haveriam de se tornar famosas.

      Eliminar
  2. Fidani parecia divertir-se a fazer westerns e usava quase sempre a mesma equipa e o mesmo elenco, segundo relatos, eram quase uma família, aliás, a filha, Simone Blondell ou Vitelli, era recorrente nos seus filmes, bem como a esposa, Mila Vitelli, que fazia um pouco de tudo. Este filme não foge muito do habitual em Fidani, mas sabendo-se o que se espera, até é agradável de seguir e não ofende ninguém. “Straniero… Fatti il Segno della Croce”, é o meu preferido de Fidani e que tem uma curiosidade e levanta uma questão. Até onde iria Charles Southwood se tivesse tido mais oportunidades? Estou convencido que ele poderia ser um dos melhores do género. Provou-o em “Aleluia” e “Django desafia Sabata”, ambos ao lado de George Hilton. Um dia alguém chamou a Fidani o “Ed Wood” do Western Spaghetti, mas, apesar de tudo, acho que os meios de produção nos filmes de Fidani eram muito superiores. Resumindo, os filmes de Fidani emanam um certo charme que é difícil de explicar e que o leva a ter uma larga legião de fervorosos seguidores. Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que acabaste de fazer um resumo perfeito dos westerns do Fidani, António. De facto eles emanam um certo charme (com muitas falhas pelo meio, claro) mas é difícil de explicar a razão pela qual gostamos de os ver e é estranho a aura que ainda hoje existe sobre os seus westerns.
      Diria que há coisas que pura e simplesmente não se explicam...

      Eliminar
    2. Se calhar não errarei muito se disser que os filmes que ele realizou até 1969 estão na média do género. Com a entrada da década seguinte já há de tudo...


      Concordo com essa ideia do António. Southwood tinha a pinta certa para vingar neste género, mas não teve aquela estrelinha da sorte. Fez pouco mais filmes do que aquele punhado de westerns que conhecemos. Pena.

      Eliminar
  3. Deixo aqui um link que encontri na net caso queiram descarregar o filme antes de arriscarem uma compra:

    http://www.ulozto.net/xcaissW4/dead-men-don-t-make-shadows-1970-eng-dvdrip-mkv

    Se o passo seguinte for a compra então recomendo a edição da Wild East, que até tráz dois filmes num DVD.

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails